+55 51 3714-7047

Entenda o papel da gestão fiscal na indústria 4.0

gestão fiscal na indústria 4.0

O conceito da indústria 4.0 é a aplicação de tecnologia de ponta, automação sofisticada e gestão informatizada de dados nos processos produtivos, cenário que já é realidade no Brasil e segue progredindo. Diariamente novas inovações são entregues às empresas e modernizações são implantadas nas linhas de produção e em demais setores ligados a ela, como o de logística.

Os pilares das fábricas inteligentes são a internet das coisas, que integra equipamentos e os conecta à internet e big data analytics, para movimentar grande volume de dados e embasar a tomada de decisões com a organização da informação. Mas a gestão fiscal na indústria 4.0 também tem sua importância, já que dá grande parte do suporte legal aos processos produtivos e de expedição da produção, além do supply chain. Então, é uma área que também deve se adequar aos novos parâmetros industriais.

Agora, acompanhe-nos e entenda um pouco melhor o papel do setor fiscal no backoffice das fábricas inteligentes.

Manter o compliance perante o dinamismo

A produção dinâmica e ágil da indústria moderna movimenta rapidamente muitos processos e informações, o que tem de ser suportado e registrado pelo setor fiscal para manter a conformidade da empresa junto ao Fisco. Além disso, novos procedimentos podem surgir e substituir antigas práticas produtivas para melhorar os produtos, reduzir o tempo de produção ou eliminar gastos.

Por exemplo, a implantação de uma nova máquina, em adição à estrutura atual ou em substituição a outra, tem o potencial de mudar grande parte dos procedimentos de fabricação, transformação ou beneficiamento. Logo, esses novos processos devem ser compreendidos pelo fiscal para que sejam corretamente registrados no Bloco K, especificamente em aspectos como fichas técnicas de produção da declaração.

Caso isso não fosse feito, o Sped Fiscal possivelmente seria enviado com inconsistências, o que acabaria com o compliance nesse sentido. De modo geral, a área responsável pelo atendimento às obrigações tem o papel de manter a conformidade da empresa comunicando corretamente as ações dela nas obrigações acessórias.

Ter responsabilidade estratégica global

Sustentabilidade financeira, rentabilidade e previsibilidade estão entre as virtudes de boas estratégias empresariais, que a gestão fiscal na indústria 4.0 pode assegurar quando atua sozinha e também se alinhando a demais departamentos.

Em análises próprias do setor, avaliando obrigações acessórias, impostos pagos, deduções e créditos fiscais recebidos, os profissionais mantêm o melhor planejamento tributário para a organização. E caso haja mudanças em outros setores que gerem redução de despesas, o setor leva isso em consideração para analisar se o regime de tributação atual do negócio ainda será o mais adequado adiante, pois despesas e lucratividade são critérios influentes na escolha entre Lucro Real e Presumido.

Agora, pensando na integração com outros profissionais, a ajuda do gestor fiscal torna as simulações e previsões do financeiro mais exatas e seguras. Isso porque as avaliações não deixam de levar em conta detalhes tributários importantes e que influenciam nos resultados diretamente.

Já na parte logística, o auxílio tem o potencial de qualificar a definição de fornecedores e outros agentes da cadeia de suprimentos. Ainda que qualidade, agilidade e rentabilidade sejam os principais fatores para as decisões da área, podem ocorrer muitos transtornos e até prejuízos por conta de erros fiscais e tributários dos agentes externos da supply chain.

Podemos citar ainda a importância estratégica da gestão fiscal para a marca de uma companhia, em relação à sua percepção positiva para o mercado e a sociedade. A velocidade aplicada à nova realidade das fábricas ainda é superada pela velocidade com a qual as informações, de todos os tipos, são disponibilizadas às pessoas.

Por isso, qualquer erro que ameace o compliance fiscal da empresa, caso chegue ao conhecimento do público em geral ou pelo menos de outros players do mercado, pode por sobre ela suspeitas de corrupção corporativa ou más práticas, como sonegação. E apesar de a informação ser fácil e rapidamente acessada nos dias atuais, “limpar” o nome de uma marca, mesmo que os erros tenham sido acidentais, ainda é difícil e demorado.

No final, todas as preocupações que citamos agora, quando recebem a devida atenção, geram um maior valor estratégico para o setor fiscal e, consequentemente, agem a favor do ganho de competitividade da companhia em diversas questões — o que é uma ação chave para o planejamento estratégico.

Evoluir tecnologicamente

Processos obsoletos podem colocar em risco a atuação, e a positividade estratégica do fiscal, nesse cenário de inovações velozes em processos produtivos. Portanto, a área também tem o papel de evoluir tecnologicamente para dar suporte às operações e às análises de outros departamentos.

E quando falamos em evolução não nos referimos apenas aos procedimentos diários, mas também à segurança. Assim como na produção, a aplicação de inteligência artificial e o progresso de ferramentas também ocorrem no campo das ameaças a dados e sistemas, inclusive com agentes nocivos que simulam naturalidade dentro da infraestrutura tecnológica das companhias para gerarem danos sem chamar atenção.

Voltando ao foco em etapas naturais da área fiscal, cabe ao gestor buscar investimentos para seu setor que qualifiquem o trabalho e o acompanhamento à modernização dos demais departamentos. Isso significa, além de ter uma equipe bem qualificada, estar atento a ferramentas inteligentes e necessárias para processamento de dados, realização de integrações e efetivação de obrigatoriedades.

O problema é que angariar investimento para qualificar a gestão fiscal na indústria 4.0 não é tarefa fácil, pois pode existir competição interna pelas disponibilidades e dificuldade em organizar a área dentro do orçamento junto às demais aplicações. Porém, não é algo impossível e pode ficar mais fácil quando se demonstra os possíveis retornos para a companhia e o valor estratégico do fiscal.

Então, aproveite mais um de nossos conteúdos e veja como conseguir investimento em tecnologia para o setor.

Scroll Up