Toshyro Inovação e Tecnologia

É melhor ter uma frota própria ou terceirizada para a indústria?

É melhor ter uma frota própria ou terceirizada para a indústria?
Fazemos o ERP Datasul trabalhar para você
Slider

O transporte de mercadorias, insumos e outros itens está entre as atividades-chave de uma indústria, motivo pelo qual merece tanta atenção do setor logístico. E essa importância coloca uma dúvida: é melhor a empresa manter uma frota própria ou terceirizá-la?

Um dos principais fatores para essa tomada de decisão é a demanda que a companhia tem, pois manter uma frota, mesmo pequena, para baixa demanda acaba gerando muitos custos para pouco uso dos veículos. Nesse caso, a frota terceirizada acaba sendo mais vantajosa. Porém, não é simples assim tomar essa decisão, pois a demanda de entregas e coletas não é o único critério a ser levado em conta.

Neste texto, vamos citar as principais vantagens de cada modelo para ajudá-lo a avaliar que tipo de frota faz mais sentido para a sua empresa.

Frota própria

Uma frota própria é composta por caminhões, e possivelmente outros veículos, comprados pela empresa e gerenciados por ela. Então, a indústria conta com os próprios meios de transporte, sempre à sua disposição para buscar insumos ou entregar produtos acabados aos clientes.

Como são adquiridos pela organização, também elevam seu ativo: o valor do conjunto de bens e direitos calculado na contabilidade. E pelo mesmo motivo fica a cargo da empresa tomar todos os cuidados necessários à gestão e à manutenção da frota, como:

  • pagar os impostos;
  • realizar o emplacamento em cada compra;
  • registrar a depreciação dos ativos;
  • controlar as manutenções preventivas, como revisões;
  • fazer seguro;
  • contratar e treinar motoristas.

Vantagens da frota própria

Mais controle sobre os processos

Além dos motoristas, empresas que têm frotas próprias normalmente empregam auxiliares de logística para participarem dos transportes. Assim, o negócio monta um processo completo de expedição, carga, traslado e descarga, todo baseado nas melhores práticas e em indicadores de sucesso.

Dessa forma, a indústria tem controle sobre todo esse processo e pode assegurar sua qualidade e sua agilidade. Consequentemente, tanto ela quanto clientes e fornecedores podem esperar que a logística seja mais confiável.

Flexibilidade e disponibilidade

Tendo os próprios veículos, a disponibilidade da empresa para realizar coletas e fazer entregas é total, pois pode se dispor a um deslocamento a qualquer momento. Isso aumenta a flexibilidade que a companhia tem para atender às necessidades dos seus clientes, como entregar mercadorias em dias e horários específicos ou atender a demandas emergenciais, mesmo em feriados e outras datas especiais.

Profissionais mais confiáveis

Não se pode dizer que profissionais de fora da empresa não são confiáveis, o que não é verdade. Porém, um profissional escolhido e mantido por ela, com o qual se tem uma relação próxima e diária, acaba sendo mais confiável para o processo logístico do negócio, até porque participa dele permanentemente e conhece seus detalhes.

Redução de impostos pela depreciação

A depreciação, perda de valor de um ativo com o tempo, é classificada na escrituração contábil como despesa. Logo, é um lançamento que reduz o lucro e, portanto, também diminui a base de cálculo de dois impostos federais para empresas tributadas pelo Lucro Real. Isso porque esse regime tributário cobra os tributos da União apenas sobre o lucro líquido que as indústrias apuram depois de descontados todos os gastos.

Pelas vantagens citadas, o conjunto de critérios que justificam a manutenção de uma frota própria são:

  • alta demanda de fretes;
  • cargas que precisam de manuseio especializado;
  • clientes e fornecedores que demandam flexibilidade.

Assim, o investimento feito na compra e na gestão dos veículos acaba sendo menor do que o necessário para a terceirização. Além disso, mantêm-se a satisfação de clientes e fornecedores e a qualidade esperada dos processos.

Frota terceirizada

A frota terceirizada pode ser feita com a contratação de veículos com motoristas, como de transportadoras e de autônomos, ou com a terceirização apenas de veículos, locando caminhões pontualmente ou por períodos.

No primeiro formato, a empresa apenas tem como obrigação fazer o pagamento do serviço contratado. Todos os custos já estão, em teoria, inseridos no valor cobrado pelo prestador, que os pagará com o recebimento e depois terá seu lucro.

A segunda opção, com a terceirização apenas de veículos, exige que o negócio mantenha motoristas e lide com alguns custos associados ao uso dos ativos. Por um lado, o contratante não paga impostos e seguro. Por outro, como utiliza de fato o veículo, e não contrata um serviço de transporte, deve arcar com custos como:

  • combustível;
  • motoristas;
  • manutenções corretivas, como quando um pneu fura ou ocorre um acidente.

Vantagens da frota terceirizada

Redução de custos

Especialmente quando nos referimos à frota terceirizada com motoristas, muitos gastos da frota própria são dispensados nesse tipo de contratação. Por exemplo, impostos e seguro, que apresentam valores altos para todos os estados brasileiros, são duas despesas com as quais a indústria não precisa se preocupar se terceirizar a frota, além de salários de motoristas, encargos trabalhistas e manutenção preventiva.

Encontrando bons autônomos ou uma transportadora confiável para fechar contratos de prazos médios ou longos, é possível gastar muito menos para os deslocamentos necessários, ainda mais se considerarmos os investimentos necessários para adquirir e legalizar caminhões.

Menor responsabilidade legal

Indústrias proprietárias de veículos precisam atentar a obrigações como:

  • pagar impostos;
  • receber novos documentos de rodagem antes do vencimento dos anteriores;
  • fazer seguro para os ativos;
  • acompanhar a validade da CNH dos motoristas;
  • possivelmente pagar multas.

Todas essas preocupações com questões legais passam para os donos dos veículos na terceirização. Caso apenas os caminhões sejam terceirizados, preocupações como impostos e seguro ainda são dispensadas.

Contratação de serviços adicionais

Se tratando de transportadoras e da terceirização total, contratantes podem contar ainda com serviços além do traslado e que são importantes para a logística. Um desses serviços é o armazenamento em armazém, que pode servir para o negócio abrigar um lote que não tem como armazenar internamente. Os armazéns também podem ser utilizados para armazenamento temporário a fim de fazer a consolidação das cargas e dar aproveitamento melhor para o transporte.

Outro serviço adicional é o transporte com acondicionamento especial, como de itens que precisam ser refrigerados permanentemente ou de carga perigosa que demanda compartimentos preparados especificamente para elas.

Dispensa da gestão de ativos

A gestão de um ativo começa na sua compra e termina quando ele é substituído, podendo ser vendido ou trocado. Isso requer muita atenção, investimentos frequentes e profissionais dedicados ao gerenciamento.

Por exemplo, um veículo sem uso significa capital parado e que requer manutenção, o que configura prejuízo. Caso a demanda não o faça ser utilizado, ele precisa ser vendido, e quando se fala de veículo sabemos que a venda de um usado sempre gera retorno muito abaixo do valor desembolsado na sua compra, tenha sido ela feita na condição de novo ou semi-novo.

Considerando as vantagens colocadas para a frota terceirizada, ela se mostra mais vantajosa pelos seguintes fatores:

  • economia financeira, principalmente se a demanda de fretes não é tão grande a ponto de justificar alto investimento em formação de frota;
  • necessidade de serviços logísticos adicionais, de preferência quando essa necessidade não é permanente;
  • falta de equipes para operação e gestão de processos e ativos, ou custo muito alto para montá-las.

Não se atendo apenas às vantagens de cada tipo de frota, utilizando-as para complementar a análise, o gestor da área deve levar em conta quais são os objetivos e as necessidades da empresa. Por exemplo, se o objetivo do setor logístico for ter um processo estruturado, interno, bastante controlado e com foco na máxima qualidade, a frota própria é mais indicada, ainda que exija mais investimentos para manter e operar.

Aliás, a padronização de processo logísticos, não somente nas tarefas de transporte, é algo importante e que contribui para um setor produtivo, ágil e que entrega qualidade. Então, veja como fazer a padronização de processos logísticos na sua indústria.