+55 51 3714-7047

Como reduzir custos logísticos na indústria

como reduzir custos logísticos

Segundo estudo do Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), custos com logística equivalem a 12,3% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Para as companhias, o impacto é de 7,6% da receita líquida. A relação é simples: os custos logísticos impactam o valor recebido todos os meses por aumentarem as despesas operacionais.

Portanto, saber como reduzir custos logísticos na empresa, especialmente no caso de uma indústria, é fundamental para aumentar a margem de lucro e a receita, além do valor do setor na percepção da diretoria.

Então, vamos abordar algumas práticas interessantes para que o setor consiga cumprir esse papel. Acompanhe-nos.

Estabeleça e acompanhe indicadores de sucesso

Indicadores-chave de desempenho (KPIs) são ferramentas de gestão que ajudam a definir o melhor caminho a seguir a partir dos resultados obtidos. Para avaliar o sucesso logístico, é preciso mensurar aqueles indicadores capazes de contribuir para um plano de otimização de recursos.

A melhor maneira de definir os que são úteis para sua indústria é ter informações quantitativas sobre tempos de processos, recursos disponíveis, capacidade operacional e solicitações atendidas.

Esses dados são coletados com a ajuda do ERP da empresa, de controles internos que o setor faz e também de informações que podem ser coletadas de outros softwares próprios para os processos, caso sejam utilizados.

Entre as principais métricas para o sucesso logístico temos:

  • custo médio por viagem;
  • consumo de combustível por quilômetro rodado;
  • índice de sinistros, avarias e extravios;
  • depreciação de veículos;
  • custo com manutenções preventivas e corretivas;
  • índice de multas em rotas;
  • quantidade de reentregas;
  • custos com fretes e estoque.

Com os dados mensurados, você identifica problemas e erros operacionais. O próximo passo é traçar metas para conter gastos desnecessários, aumentar a eficiência e otimizar os valores que o negocio investe no departamento.

Utilize a curva ABC na gestão de estoque

curva ABC visa classificar os produtos armazenados de acordo com sua relevância para o negócio: o impacto oferecido para faturamento, giro e lucro. A partir disso, são identificados os produtos com maior custo logístico. Para isso, eles são divididos da seguinte maneira:

  • A: são os produtos de maior importância, quantidade ou valor. Representam cerca de 20% do total;
  • B: têm relevância, valor ou quantidade intermediários e condizem com aproximadamente 30% do total;
  • C: apresentam menor importância, quantidade ou valor e equivalem a 50% do total.

Esses percentuais são apenas uma padronização geral, que funciona para a maioria das empresas, mas podem ser diferentes na sua indústria.

A fim de separar os produtos nessas categorias, é preciso listar todos eles e sinalizar os valores unitários, as quantidades vendidas no período analisado e o montante total gerado pela comercialização.

Os produtos A nunca podem faltar. Por isso, devem ser monitorados de forma constante. Os de classe B e C elevam a estabilidade da organização e aumentam o ticket médio. No entanto, você pode descobrir alguns itens que elevam os custos logísticos e têm pouco giro, o que demanda o planejamento de novas práticas para lidar com eles e evitar as perdas.

Otimize o armazenamento

Apesar de ser fundamental manter a estocagem adequada de produtos e matérias-primas, o armazenamento pode ter sua eficiência aumentada. Como fazer isso? A melhor forma é verificar que um espaço é capaz de armazenar quantidades diferentes dos itens bastando mudar a forma de organização.

Veja quais são as necessidades e as características de cada item, como necessidades de ventilação, refrigeração ou uma alta temperatura específica. Com a curva ABC, identifique se o giro deles é alto ou baixo para saber se eles precisam ficar mais ou menos acessíveis.

Assim, você já consegue otimizar o espaço existente. Lembre-se de que também vale a pena avaliar o layout da área de armazenamento, porque sua estrutura interfere na produtividade.

Caso a área fique com muitos espaços disponíveis, verifique a possibilidade de trocá-lo por um galpão menor. Outra boa ideia é apostar nos condomínios logísticos ou na terceirização da armazenagem. Essas opções tendem a trazer flexibilidade e permitirem que a empresa aumente ou diminua sua ocupação conforme a necessidade de cada momento.

Avalie a possibilidade de terceirizar a frota

Terceirizar é uma medida popular entre as indústrias para redução de custos logísticos. Veja se essa alternativa faz sentido a partir do levantamento de gastos com manutenção, transporte e demais gastos mantidos pelo setor. Compare com o valor a ser pago para a prestação do serviço, sempre atentando mais ao custo-benefício do que ao preço.

Com uma boa parceria estratégica é possível diminuir os gastos referentes a:

  • encargos trabalhistas e sociais com contratação de motoristas e auxiliares;
  • pedágios, combustível e diárias;
  • manutenção;
  • multas e indenizações.

Automatize o controle de custos de frete

Os custos de frete estão entre os indicadores de sucesso logístico. Para automatizar esse monitoramento, o ideal é trabalhar com um sistema próprio para isso ou com uma solução específica integrada ao ERP da companhia. Por meio desses sistemas pode-se solicitar os valores dos fretes, cadastrá-los e contar com uma tabela atualizada para consulta e validação das despesas.

Nesse processo se torna mais fácil e rápido consultar os dados para identificar os preços adotados pelas transportadoras e decidir pelas contratações. Além disso, um registro da venda e entrega pode ser feito para identificar o custo de frete de cada produto.

Dessa forma sabe-se o preço aplicado para o item no transporte e se os valores estão adequados ou não.

Revise e mapeie os processos

Identificar todos os processos executados para reduzir os custos logísticos é medida essencial, porque permite identificar falhas e inconsistências. Analise as etapas para ter uma ideia clara de cada etapa e identificar gargalos.

A revisão e o mapeamento, aliados às metas traçadas e ao acompanhamento de KPIs, ajudam a alcançar:

  • aumento de produtividade;
  • diminuição do índice de devoluções;
  • eliminação dos desperdícios;
  • redução dos custos logísticos e outras despesas operacionais.

Em suma, saber como reduzir os custos logísticos na indústria não é tão simples quanto parece porque não trata-se somente de cortar gastos. É uma questão que tem a ver com planejamento, avaliações e até formas de aplicar melhor valores em despesas que não precisam ser cortadas.

E no seu setor, o que vem sendo feito nesse sentido? Deixe seu comentário e conte o que faz para otimizar esse aspecto.

Scroll Up