Logística 4.0: benefícios e diferenças para o processo tradicional

Logística 4.0: benefícios e diferenças para o processo tradicional

A indústria progride rapidamente e se transforma a cada inovação criada propriamente para ela ou adequada à industrialização pelos players que fazem parte desse mercado. Com a logística, parte fundamental de processos industriais e que precisa dar suporte às operações pré e pós-produção, não é diferente. Justamente por isso nasceu o termo logística 4.0, que é fundamental dentro da atual realidade: a indústria 4.0.

E a mudança que o conceito promove nos processos logísticos não é apenas de uso de ferramentas e tecnologia, mas também na forma de pensar o departamento e sua gestão, com ênfase maior no lado tático e em ganhos que transcendem a área em si.

Entenda agora um pouco mais sobre a logística 4.0, como se diferencia da tradicional e os maiores benefícios que traz para uma indústria.

O que é a logística 4.0 e como se diferencia da tradicional

Baseando-se em computação na nuvem, Big Data, Business Intelligence e outras tecnologias que automatizam processos, integram dados e aumentam o potencial das análises, essa forma de gerenciar e operar os processos logísticos busca atender a requisitos de controle de dados, velocidade de processamento e atualização, redução de custos e ganho de eficiência da indústria 4.0.

Além de contar com sistemas mais inteligentes e procedimentos automatizados ao máximo, o conceito foca em uma gestão logística que gasta menos esforços e tempo com o operacional e tem grande foco em entregar valor, funcionando de maneira mais estratégica. Justamente por isso, é mais útil que a logística tradicional em questões como apoio a tomadas de decisões e participação em resultados globais da organização.

Para gerar esse valor, a automação não se prende apenas a tirar procedimentos da mão humana, mas sim a torná-los mais rápidos e inteligentes, apoiados em dados e gerando mais informação conforme vão ocorrendo. Consequentemente, também promove melhor comunicação dentro do setor e dele com outras áreas, fazendo compartilhamento mais rico de dados em tempo real.

Por exemplo, o controle dos níveis do estoque pode ser feito com soluções que aplicam a radiofrequência, por meio de equipamentos de leitura e etiquetas inteligentes que emitem sinais aos sensores. Assim, o setor de compras pode sozinho e diariamente acompanhá-los, automatizando os pontos de pedido para as novas aquisições com fornecedores.

Enquanto isso, o setor logístico pode e deve compartilhar o controle de produtos acabados com o comercial e a produção, com comunicação ativa de todas as vias. Isso permite que o setor produtivo priorize determinados itens a partir da demanda que os profissionais de vendas manifestam, ao mesmo tempo que o gestor de logística e sua equipe organizam em tempo real ou com antecedência a movimentação da área para atender às solicitações de ambos os departamentos, inclusive já preparando as entregas aos clientes.

E se não bastasse o ganho de eficiência em processos, ele acontece com toda a informação gerada, interna e legal, integrada ao ERP — o espelho da organização e central de efetivação dos procedimentos de toda a empresa.

5 benefícios da logística 4.0

Redução de perdas e custos

Com um controle melhor sobre o estoque, diretamente as perdas são reduzidas por problemas evitados, como compras excessivas, deterioração de insumos e armazenamento incorreto de matérias-primas e demais itens. E isso por si só já representa uma redução de custos.

Porém, custos também são reduzidos pelo fato de menos pessoas serem necessárias para operar os mesmos procedimentos, e não somente no setor logístico, pois vimos que a logística 4.0 leva benefícios próprios da área para outros departamentos. Além disso, as despesas operacionais ainda podem ser enxugadas adicionalmente pela eliminação de etapas em processos que passam a ser automatizados e integrados com demais práticas internas ou externas da área logística.

Mais valorização do setor logístico no cenário geral

Um dos grandes impactos da logística inteligente e conectada, como vimos, é a elevação do valor entregue pelo setor para a empresa. Logo, ela passa a ser mais estratégica globalmente e valorizada pela diretoria, sócios e administradores.

Dessa forma, tanto o gestor logístico quanto sua equipe conseguem mais facilmente serem recompensados pelo trabalho e pela influência que geram para a alcance dos objetivos da organização. Também, com essa valorização do departamento, conseguir investimentos para melhoria em processos logísticos se torna tarefa menos difícil.

Elevação da satisfação dos clientes

Com um processo mais rápido, eficiente e integrado — desde a supply chain até a entrega dos produtos aos clientes —, algumas metas podem ser alcançadas, como:

  • reduzir os prazos de entregas aos clientes;
  • ter a empresa sempre pronta para atender a qualquer demanda, inclusive emergencial;
  • reduzir erros em transporte e outros processos de expedição de produtos acabados;
  • reduzir preços, principalmente pela possibilidade de reduzir custos.

Quando uma indústria alcança um desses objetivos, ou mais de um, imediatamente consegue aumentar a satisfação dos seus clientes, o que sempre é necessário para se manter no mercado e estar à frente da concorrência. Ou seja, é uma vantagem competitiva que a logística agrega.

Vantagem competitiva para atrair clientes

Além de manter os clientes já adquiridos, aplicar a logística 4.0 também é uma forma de facilitar a aquisição de novos clientes, principalmente grandes e exigentes corporações. Isso porque um negócio bem preparado em gestão e processos para comprar, produzir e entregar tende a agradar mais o gestor de um negócio que está analisando novos fornecedores para fechamento de parceria comercial.

Processos bem estruturados, modernos e conectados geram mais confiança aos olhos de agentes externos, especialmente se suas empresas forem depender desses processos para manterem suas operações.

Flexibilidade para mudanças e melhorias

Um setor moderno e conectado pode ser mais facilmente modificado para implantação de melhorias e adequações a progressos do cenário logístico e industrial. Com dependência menor de pessoas e processos manuais e maior integração entre profissionais e setores envolvidos, é mais simples e rápido implementar uma mudança e deixar todos os envolvidos a par dela e das novas práticas que serão adotadas.

Por exemplo, uma alteração na política de manutenção de níveis de estoque demanda, no mínimo, a realização de inventário prévio, reorganização de itens e alteração em pontos de pedidos. Pela logística tradicional seria necessário parar o setor para a fazer o inventário, possivelmente reestruturar fisicamente o local e depois repassar critérios aos departamentos de compra e produtivo.

Já em um ambiente com a logística 4.0 aplicada bastaria atualizar os números registrados nas políticas de compras em relação a pontos e níveis de estoque e compartilhá-los com os demais envolvidos. Quanto à realização de inventário, seria mais rapidamente feita com leitura das etiquetas inteligentes por radiofrequência, sem a necessidade de reorganizar fisicamente os itens e o local de armazenamento.

Quer ler mais sobre logística, indústria, processos inovadores e outros assuntos importantes para a sua empresa? Assine a nossa newsletter para receber conteúdos periodicamente por e-mail.