Toshyro Inovação e Tecnologia

MES na indústria: como funciona e como integrar com ERP

MES na indústria: como funciona e como integrar com ERP

(Manufacturing Execution System) MES na indústria é algo utilizado faz bastante tempo. Mas a indústria 4.0 elevou sua importância e passou a exigir mais abrangência desse sistema, que precisa centralizar, distribuir e automatizar dados e processos, além de conectar fluxos de trabalho e diferentes setores.

Não trata-se apenas de modernizar e robotizar processos produtivos, mas de tê-los integrados a todo o restante da empresa e alinhados ao planejamento estratégico do negócio e suas metas gerais. Logo, é parte relevante da infraestrutura de tecnologia e fundamental para os resultados empresariais.

A seguir, nos aprofundaremos no conceito de MES, em sua integração com ERP e nos resultados que podem ser esperados dessa integração.

O que é MES e quais são os recursos

O sistema MES gerencia e monitora os processos produtivos, ordenando a execução de tarefas e coletando dados. Além disso, integra etapas de produção e faz a comunicação com setores na pré e na pós-produção.

Junto à automação de processos e à informatização de atividades gerenciais, com auxílio à tomada de decisões, o MES na indústria conecta as atividades de manufatura a demais atividades, como de cadeia de suprimentos e de entrega dos produtos acabados, e ao planejamento estratégico da empresa.

Para isso, apresenta recursos necessários a operações e gestão em ampla escala. Alguns dos principais são:

  • definição e controle de prioridades para produção e expedição;
  • transferência de dados para diferentes módulos do ERP;
  • coleta e organização informações acerca de performance dos processos produtivos;
  • acompanhamento de reposição de estoques;
  • automação de ações ou mudanças de parâmetros conforme dados analisados e regras de negócios;
  • relatórios de custos;
  • identificação de problemas pontuais e gargalos em processos.

Por exemplo, a partir dos pedidos que a empresa já tem emitidos pelo setor comercial, avaliando simultaneamente seus prazos, o sistema pode automaticamente organizar o fluxo de produção, expedição e entregas para atender à demanda da melhor forma possível.

Em relação ao exemplo, na etapa anterior da operação, os sistemas de controle e execução da manufatura podem monitorar os níveis de estoque de insumos conforme a demanda existente e lançarem ordens automáticas de compras e reposições na área de produção.

Portanto, a infraestrutura precisa ter softwares e sensores coletando dados e enviando-os à nuvem de armazenamento. Então, com recursos de big data e analytics, o sistema pode prever problemas, encontrar oportunidades ou mesmo chegar a constatações de rotina dos fluxos de trabalho, automatizando tarefas e decisões pela integração de softwares, parametrização e regras de negócio configuradas.

Para que a estrutura organizacional funcione em seu todo da maneira que exemplificamos acima, existe a necessidade de os sistemas estarem integrados ao ERP. E esse é o foco dos próximos tópicos. Acompanhe.

Como integrar MES e ERP

Mapeamento do cenário

Primeiramente, toda a empresa deve ser mapeada para que se façam as seguintes listagens:

  • ferramentas utilizadas;
  • quais dados geram;
  • a quais processos estão ligadas;
  • como se relacionam com outras tarefas e demais setores;
  • quais dados podem receber;
  • forma como coletam e analisam dados.

A partir desse mapeamento pode-se desenhar como as integrações têm de ser feitas, de que maneira os diferentes pontos da infraestrutura se comunicarão, o tráfego dos dados, as automações de processos, necessidades de modernização específicas e tantos outros quesitos.

Eliminação de controles manuais e padronização de dados

Como o MES deve centralizar toda a informação, não podem ocorrer relatórios paralelos, análises duplicadas ou falta de abastecimento de dados para nuvens e softwares.

Logo, tudo o que estiver sendo manualmente registrado e controlado deve ser informatizado, com padronização para centralização, compatibilidade e integração dos dados.

Parametrização e alinhamento à estratégia empresarial

Tudo precisa ser alinhado ao planejamento estratégico global e a regras de negócios.

Esse alinhamento possibilita que o emprego de recursos e esforços seja corretamente direcionado. Por exemplo, se a organização pretende aumentar sua lucratividade a partir de uma redução de custos produtivos, os sistemas de gestão e execução serão programados para identificar pontos de possível economia, gargalos, perdas e outros fatores nos quais a intervenção de gestores proporcionará o aumento das margens de lucro pela diminuição dos custos de manufatura.

Quais resultados podem ser esperados da integração entre MES e ERP

Padrões de qualidade de manufatura

Um dos quesitos mais importantes no ramo industrial é a gestão de qualidade, que em muitas empresas toma bastante tempo e investimento na busca pelos mais altos padrões de produtos acabados.

O MES na indústria pode não apenas monitorar os padrões decididos na gestão da produção, mas também gerar dados que apontam as causas do não alcance desse padrão, quando ocorrer, e ser exato em intervenções e alertas para momentos nos quais o nível exigido não é alcançado ou está em risco.

Aumento de produtividade geral

Muitas tarefas diariamente são interrompidas em vários negócios porque os profissionais precisam buscar dados que necessitam, mas não os têm em mãos. Ou para que tabelamento e cruzamento manual das informações sejam feitos para leituras de cenários mais complexos e encontro de relações entre ocorrências.

A coleta e a análise de dados, com parametrização e outras configurações específicas, automatiza todo esse trabalho, fazendo com que os profissionais percam menos tempo com “esforços braçais”. Ou seja, produzem mais e trabalham mais estrategicamente dentro do mesmo tempo que desperdiçariam em funções de menor valor para a empresa.

Rapidez e exatidão para tomada de decisão

Quanto mais rápido os dados chegam a gestores e diretores, antes eles podem agir gerencialmente e tomarem decisões. E essa agilidade também é positiva para a exatidão das decisões, pois a análise de informação gerada em tempo real evita que ocorram ações baseadas em dados defasados.

Outro fator que contribui para a exatidão na leitura da informação é a própria integração e a abrangência de dados coletados, analisados e expostos em relatórios. Quanto mais amplo e fiel é o olhar que os decisores têm acerca do negócio, mais exatos eles podem ser em comparações, avaliações e decisões.

Retorno financeiro

Além da redução de custos de produção, como exemplificamos acima, um sistema MES pode ajudar a diminuir gastos em outros setores, como no estoque — com a manutenção de níveis mais adequados de materiais e insumos e ciclos mais organizados para as compras.

Todas as possibilidades de cortar gastos, além das oportunidades de aumentar o faturamento encontradas em dados do setor comercial e de clientes, são importantes para elevar as margens de lucro e tornar o negócio mais competitivo.

Aumento do valor da TI para a empresa

A mudança do setor de reativo para ativo e preditivo aumenta sua participação no alcance de objetivo e resultados, fazendo com que a infraestrutura e a equipe seja vistas como ativos importantes e investimento, não apenas um centro de custos para suporte e manutenção.

E se você quer saber como elevar o patamar da TI em outros pontos de sua participação na companhia, acesse nossa página de materiais gratuitos e aproveite os materiais desenvolvidos com foco no progresso e na relevância da área de tecnologia.